BARRA Arquitetos

R. Felipe Camarão, 751 - sala 908

Bom Fim, Porto Alegre, RS

NÚCLEO FLORIDA

Equipe: Fernanda Moreira (BARRA Arquitetos)

Orientação: Ana Carolina Pellegrini

 

Projeto de um complexo contendo escola de música, praça pública e mercado no bairro Floresta, IV Distrito de Porto Alegre. O projeto foi desenvolvido como Trabalho de Conclusão de Curso de Arquitetura e Urbanismo na UFRGS.

Localização. Porto Alegre, RS

Ano. 2016

CONTEXTO

 

O Bairro Floresta, além da sua histórica importância como região industrial da cidade, apresenta uma grande concentração de edificações inventariadas, o que configura terreno fértil para o resgate, resinificação e reinstalação de atividades produtivas naquele local. Além disso, o terreno se insere na área do Distrito C, um pólo identificado no Masterplan da região como espaço de consolidação e promoção das indústrias criativas.

Outro grande potencial do terreno é a sua facilidade de acesso: é alimentado pelas vias arteriais Av. Farrapos e Av. Cristóvão Colombo e facilmente acessível desde a R. Ramiro Barcelos, que direciona facilmente o fluxo de toda a cidade sem a necessidade de adentrar os limites da 1ª Perimetral. Além disso, está previsto para este último eixo uma conexão direta com o Cais, através de uma passagem sob a Av. da Legalidade e da Democracia, o que consolidaria ainda mais o trecho final desta via.

O SÍTIO

Localizado à leste da Av. Farrapos, na região conhecida como Distrito Criativo, o sítio é atravessado, na direção norte/sul, pelo principal eixo de integração local da região - a R. São Carlos - e, na leste-oeste, pelas ruas Gaspar Martins e Comendador Azevedo.

1. Praça Florida: Espaço notável do bairro por sua relevância enquanto centro de convívio da comunidade em meados do séc XX, quando sediava diversos eventos esportivos e ainda era reconhecida como ponto de encontro para os habitantes da região. A partir dos anos 1980, a praça começa a sofrer com a consolidação da Av. Farrapos enquanto via arterial da cidade e a consequente transformação de seu entorno. Embora seja hoje um espaço degradado e de difícil acesso em razão do cercamentos das quadras e dos espaços da creche, a praça tem recebido diversos eventos promovidos pela comunidade e incentivados pelo poder público municipal, que vê a região como um novo pólo de desenvolvimento da economia criativa. Esses brechós e feiras de rua, no entanto, sofrem com a falta de espaço na própria praça, que oferece poucos lugares de circulação e estar ao público.

2. Quadra do Mercado: O estudo se apropria de lotes ocupados por edificações descaracterizadas, criando uma passagem interna pelo quarteirão a fim de propor novas e melhores relações/conexões da praça com as quadras adjacentes.

3. Quadra da Escola: Neste trecho da R. São Carlos a fachada é caracterizada por grandes conjuntos de interesse histórico: dois edifícios ocupados pelo Hostel Boutique e um condomínio de residências unifamiliares, datado da década de 1930. No hiato entre essas edificações, os dois lotes hoje descaracterizados vão dar lugar a um pórtico que conecta o projeto aos edifícios da escola de música.

 

Esse complexo de novos equipamentos âncora cria um novo circuito para os usuários, aumentando e qualificando as conexões no tecido daquela região, uma vez que age não só como um pólo atrator (Escola de Música), mas também se apresenta enquanto equipamentos e espaços públicos de apoio para os residentes e pequenas empresas do entorno (Mercado e Praça).

DIRETRIZES DE PROJETO

Os terrenos estão localizados no Floresta, tradicional bairro de Porto Alegre pertencente ao 4o Distrito, região que teve seu crescimento incentivado pela proximidade com o centro histórico e experienciou o ápice do seu desenvolvimento na primeira metade do século XX. Por essa razão ali se encontram, além do patrimônio industrial, uma grande quantidade de edificações inventariadas. Esse contexto motivou a incorporação de um condomínio de casas (datado dos anos 1930) no projeto.

Os Edifícios

A Praça Bartolomeu de Gusmão (Praça Florida) é conhecida, historicamente, como um local de reunião dos moradores e necessita de uma revitalização que consiga devolver aquele espaço a esta comunidade. Os demais lotes, hoje ocupados por edificações em ruínas, abrigam o programa dos edifícios - que devem reconstruir as fachadas da rua e redesenhar o tecido das quadras onde se inserem.

As Passagens

O primeiro passo para a definição dos volumes foi criar os eixos de circulação, visando reconectar tanto as ruas aos miolos de quadra quanto os próprios prédios do conjunto entre si. Surgem daí os eixos que ligam a Praça Florida ao programa do Mercado e este Mercado ao equipamento
de cultura da Escola de Música.

Os Alinhamentos

A outra grande diretriz foi manter a relação de altura entre os edifícios do entorno e os novos volumes, mantendo alinhamentos existentes e criando composições interessantes para as testadas. Assim, considerando as áreas resultantes, os programas se ramificam: uma escola de música no prédio mais alto e um auditório na barra adjacente; um mercado linear junto ao eixo de conexão com a praça, uma área de alimentação na esquina e um restaurante defronte à praça.

Praça Florida - Av. Farrapos

Pórtico de entrada no complexo da Escola de Música - R. São Carlos

Fachada da Escola de Música - R. Comendador Azevedo

Fachada do Mercado - R. São Carlos

Vista do Auditório desde a Biblioteca

Bar da escola de música - 2º pav. Escola de Música

Sala de aula - 3º pav. Escola de Música

Mezanino do Mercado